Historiografia Católica e Anticatólica

Resumo do artigo Catholic Truth in History de Hilaire Belloc em  Catholic and Anti-Catholic History.

I. OS ATRIBUTOS ESSENCIAIS DA HISTORIOGRAFIA ANTICATÓLICA.

O maior erro dos educadores católicos consiste em tomar os livros didáticos e restringir-se à censura daquelas passagens explicitamente anticatólicas,  onde se fazem falsas afirmações sobre certos eventos. Tais passagens são geralmente raras e não essenciais.

O essencial da historiografia anticatólica, as coisas que fazem-na completamente anticatólica e produtora de um efeito anticatólico, são os seguintes elementos:

  1.  A seleção dos fatos apresentados;
  2.  O tom utilizado na narrativa;
  3.  O tratamento dado aos fatos.
Sobre o primeiro ponto, diga-se que ninguém vai contar uma história sem fazer alguma seleção. Regra geral: embora os fatos selecionados possam ser todos verídicos, a somatória deles pode formar um quadro falso. Os fatos escolhidos e a ordem empregada determinam a imagem final. Há, portanto, um cânon anticatólico que escolhe certos acontecimentos em detrimento de outros, uma historiografia que peca por omissão.
 

Sobre o segundo ponto, diga-se que assim como o estilo denuncia o artista, o tom denuncia o historiador. Regra geral: os verbos, advérbios, adjetivos e mesmo os substantivos utilizados denunciam algum julgamento sobre a história contada. Há, portanto, uma terminologia ou linguagem anticatólica, uma historiografia que peca por palavras.

Sobre o terceiro ponto, diga-se que o tratamento dos fatos tem a ver com a largura, o peso e a ênfase empregado na exposição dos fatos. Regra geral: uma mesma seleção de fatos pode ser analisada de modos diferentes, a importância que se dá a determinados fatos em detrimento de outros revela uma filosofia por baixo de toda exposição histórica. Há, portanto, uma interpretação ou filosofia anticatólica, uma historiografia que peca por pensamentos.

II. A ATITUDE CATÓLICA PERANTE A HISTORIOGRAFIA ANTICATÓLICA

Posto que o problema não consiste na mera circulação de mentiras sobre os fatos históricos,  mas principalmente numa atmosfera que produz um efeito anticatólico através de seleção de conteúdos, tom narrativo e tratamento dado aos mesmos fatos é necessário inquirir sobre o que fazer em tal circunstância. Parece que duas coisas devem ser feitas.

  1. Deve-se lembrar o que é muito fácil de esquecer numa tal atmosfera: a Igreja Católica não sustenta uma opinião entre muitas opiniões, mas a Verdade. Aqueles que escrevem uma história de modo anticatólico não estão somente doutrinando seus leitores numa perspectiva não católica, eles doutrinam seus discípulos na mentira. Ignorar a versão católica da história equivale a fazer má historiografia.
  2. Deve-se tomar consciência de que a maioria dos livros publicados até o momento são anticatólicos tanto no conteúdo quanto no método. Jamais se apoiar unicamente neles. Abaixo o leitor encontrará uma lista de autores confiáveis e suas principais obras historiográficas:

[Lista em construção]

BELLOC, Hillaire
BUTLER, Albam
  • Lives of the Saints [Kindle]
DANIEL-ROPS
  • Histoire de l’Église du Christ, 8 volumes
DAWSON, Christopher
GILSON, Étienne
LAUX, John
PASTOR, Ludwig von
PERNOUD, Regine
  • Idade Média: o que não nos ensinaram [Capa comum]
WALSH, James Joseph
WALSH, William Thomas
WAUGH, Evelyn
WOODS, Thomas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s