No mundo tereis tribulações

Mãe depois do parto do filho

Sofre a mãe de dores e abrolhos,
Dando à luz ao filho bem-amado,
Tudo fica, porém, recompensado.
Depois que nele repousar seus olhos.

Não há dores, sofrimentos, escolhos,
Sentidos n’algum tempo já passado,
Que não conduzirão a Bem dobrado:
Os teus padecimentos são teus sólios.

Se o gládio da dor tem transpassado,
O pobre coração do homem justo,
Saibam que é um bem-aventurado.

O que perseverar a todo custo,
A viver de modo mais abnegado,
Vai de Deus lograr o prêmio mais augusto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s