A Apostasia em verso (IV)

A CRUZ ESCONDIDA

Para André

francisco-esconde-o-curcifixo

Se de mim a Cruz escondeu,
digo: quem é que te envia?
Será o filho de Maria,
que nela por nós padeceu?

Aquele que se ofereceu
pelo que nas trevas vivia,
o qual por si não merecia,
pois no pecado já nasceu?

Não penso que tal sucedeu,
pois se o fosse me diria:
“Só indo pela Sacra Via,
há de purgar o erro teu”.

Mas antes que me respondeu?
disse que melhor eu faria,
ficando na periferia,
vivendo qual um saduceu.

Achou que eu fosse fariseu,
me disse que arrependeria,
por não ter parte em orgia,
nem gastar bem o tempo meu.

Meu coração entristeceu
pela palavra que ouvia,
se não ouvisse, não creria,
que de tal boca prodedeu.

Logo a razão esclareceu,
e vi tão claro como o dia:
A Cristo ele não servia,
ao Inimigo se rendeu.

Francisco-esconde-o-crucifixo-2

2 comentários em “A Apostasia em verso (IV)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s