Soneto à Marquesa de Gouveia

Numa parte do post anterior se falava das excelências da vida contemplativa, como o incentivo e admiração por esta sublime vocação deve estar presente em nossa Agenda Católica. Ora, faço saber por meio deste que o poeta Anastácio Ayres de Penhafiel entendeu-o muito bem. Os seguintes versos louvam a “Excelentíssima Senhora Marquesa de Gouveia que renunciando as pompas do século se sujeitou aos rigores de u’a clausura”:

Maduro fruto de pomposas flores,
produz planta feliz para a Memória,
e no claro esplendor da sua glória
alenta aromas produzindo olores.

Apurem-se os engenhos superiores
em fazer aos vindouros mais notória,
esta resolução digna de história,
Este exemplo maior entre os maiores.

Descrevam Plínios gloriosamente
a alta Planta de eterna Luz vestida
transplantada do Ocaso ao Oriente.

Digam que desta sarça a Deus unida
nos está convidando o fogo ardente
a seguir-lhe a chama, e a imitar-lhe a vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s